Com artificiais

 

       Para  esta  modalidade, alem do motor elétrico, as varas menores de até 1,80 metro de comprimento de ação rápida e que arremessem iscas artificiais de 7 a 12 gramas de peso podem ser utilizadas.
      Usaremos a carretilha para esta pescaria, sendo também o molinete um bom equipamento. Só optamos pela carretilha pela precisão que ela apresenta na hora do arremesso.
      Nossas iscas artificiais poderão ser de superfície, meia água e fundo. A linha continuará sendo a de 0,30 mm. É mais do que suficiente.

Veja algumas :

   

Jigs e Grubs, enroscam menos, por isso são usadas em estruturas muito fechadas. 

Twitch Baits da Mirrolure, muito eficiente entre as galhadas.

Camarão da D.O.A.,  o melhor dos grubs.

Tattlin, entre as mais eficientes iscas de fundo, porém enrosca muito. 

  

Crankbaits, vão buscar o peixe lá no fundo.

Weedless de rapala (Minnow Spoon), para estruturas fechadas.

 

Iscas de hélices. 

Rapala Husky, acima e husky Jerk, abaixo.

 

Rapala cowntdown, o melhor plug para pesca de fundo.

 Plugs da Rapala que também podem ser usados na superfície.

 

Popper, a mais barulhenta isca de superfície. 

Srimp, camarão artificial de berkley, aromatizado com hormônios.

Com iscas artificiais variando as suas cores podemos definir a pescaria. 

   Dicas Importantes:   

         A preocupação maior é quanto a qualidade das garatéias e anzóis: Se estiverem oxidados, substitua por outros do mesmo tamanho e peso para não alterar o trabalho da isca.
        Se as pontas dos anzóis e garatéias estiverem lascadas, use uma lima e afie, garantindo assim a fisgada
        Outra providência é a instalação de um líder em nossa linha. Esta preocupação evitará que a linha 0,30 mm se rompa com facilidade na boca áspera do peixe ou em alguma rocha submersa.
        Após ter bobinado para a carretilha a linha 0,30 mm, pegue outra linha com bitola mais grossa, por exemplo, 0,45 mm ou 0,50 mm, e cole as linhas. Antigamente nós amarrávamos uma linha na outra só que o nó quando esbarra nos passadores, compromete o arremesso. Hoje já existe a cola para monofilamento chamada cola Líder que resolveu este problema.
        Com a linha 0,50 mm colada na 0,30 mm, bobine para dentro da carretilha uns 2 metros da linha grossa e na ponta desta linha um snap ou grampo, que facilita a troca da isca artificial na hora da pescaria.
 

         Localizar as estruturas em que o Robalo costuma usar para se alimentar: tocos de árvores, galhadas, pedras e embarcações semi-submersas, pilares de pontes, velhos atracadouros, cercos e muitos outros.
        Com o barco próximo do local da pesca desligamos o motor de popa e nos aproximamos com o motor elétrico. A maré deverá estar correndo. Nos posicionamos uns 15 a 20 metros do local e iniciamos os arremessos.

 

Barcos naufragados e galhadas, ótimo ponto                Paredões rochosos.
para procurarmos o rei prateado.

        As iscas de superfície, com o trabalho na flor da água, deverá fazer algum barulho para atrair o Robalo. Com toques curtos com a ponta da vara evolua a isca uns 15 centímetros a cada toque. Quanto mais bobo for o trabalho da isca, melhor ela estará imitando um peixe ferido.
        As iscas de meia água ou de barbela com trabalho na superfície, a cada toque mergulharão um pouco voltando a flutuar. Este trabalho poderá ser alterado com mais toques para que afunde mais ou evolua a meia água.
        As iscas de fundo como os Jig's, os camarões plásticos, irão onde o robalo está. Este recurso só é utilizado quando o Robalo não quer atacar as nossas iscas na superfície ou quando estes estão a profundidades maiores.
        Os toques curtos com a ponta da vara simularão a vida nestas iscas.

                                                                                                                 MAIS DICAS

se gostou desta pagina, mande-nos um e-mail-Click aqui

 

Clube de Pesca Cananéia
R. João Maciel - Porto Cubatão - Cananéia - SP - CEP 11990-000
Telefones: (0**13) 3851-6117 / 3851-6118 / 3851-6143